Brasil amplia potência de sua matriz energética com inauguração de novas usinas fotovoltaicas

Brasil amplia potência de sua matriz energética com inauguração de novas usinas fotovoltaicas

06 Mar 2018

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o País iniciou 2018 com um total de 1,099 GW em instalações do gênero. Para se ter uma ideia do tamanho do feito, este patamar só foi alcançado em outras 30 nações e é suficiente para abastecer 500 mil residências. Boa parte da atual capacidade produtiva vem das usinas inauguradas em 2017, contratadas pelo Governo Federal durante os leilões de energia elétrica realizados entre 2014 e 2015.

Hoje, as usinas fotovoltaicas em funcionamento ficam localizadas nos estados da Bahia, Piauí, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Pernambuco correspondem à potência total de 0,935 GW. Os outros 0,164 GW ficam por conta da geração distribuída, que, no último ano, registrou forte crescimento no uso pela população, empresas e governos por meio de sistemas fotovoltaicos em residências, comércios, indústrias, prédios públicos e na zona rural, em todas as regiões.

Apesar deste forte crescimento, o Brasil apresenta mais de 15 anos de atraso no uso da energia solar, representando menos de 1% da matriz energética nacional. Porém, a expectativa é de que, até 2024, a fonte passe a responder por cerca de 5% da consumida no país. Em dezembro, foi realizado um leilão no qual foram contratados 574 MW em usinas solares que devem entrar em operação a partir de 2021.