A importância de preservar as nascentes

A importância de preservar as nascentes

01 Mar 2018

Tenho observado muitos governantes falarem sobre a importância de cuidarmos dos nossos Rios, Brasil afora. Em São Paulo, por exemplo, o projeto de despoluição do Rio Tietê, que corta quase todo o estado, começou há 23 anos e já consumiu US$ 2,65 bilhões, ou cerca de R$ 8,1 bilhões, em valores atuais, entre investimentos do governo do estado e de organismos internacionais. Evidentemente que isso é importante, aliás, se imaginarmos que é dessa fonte que captamos a água para o nosso consumo, eu diria que além de importante é vital para a nossa sobrevivência. Agora, igualmente importante, é cuidarmos das nossas nascentes, porque é ali que tudo começa. Sem a nascente, não tem rio, não tem vida!

Nas Indústrias, temos que ter a mesma atitude. As grandes corporações, produzindo, geram emprego e renda na economia brasileira. E elas merecem toda a atenção. Mas gostaria de lembrar que elas não nasceram grandes. Tais como os rios e as respectivas nascentes, tudo começou com uma grande ideia, muita dedicação, sorte e empreendedorismo de alguém. Poderia aqui citar uma série de atributos, mas quero falar especialmente em um deles: os parceiros. Aquele que verdadeiramente põe a mão na massa e contribui para transformar sonhos em realidade. Aquele que, quando tudo parece perdido, estende a mão e nos levanta.

Essa história retrata toda a minha trajetória ao logo de mais de 40 anos de trabalho. Quis o destino me colocar ao lado de pessoas tão preciosas e dedicadas a praticar o bem, a multiplicar o conhecimento, a auxiliar as empresas a materializar sonhos, utilizando a automação como instrumento e os resultados como fatos, não como retórica para atrair incautos. Hoje, a divisão de OEM da Altus é uma continuação da minha história. Nossos clientes são acima de tudo, parceiros e amigos. Nós realmente acreditamos que contribuímos para o seu crescimento e maturidade. Esse é o nosso maior patrimônio.

E como fazemos isso? 

Se considerarmos uma máquina um conjunto mecânico composto por acionamentos, sejam eles elétricos, pneumáticos, ou hidráulicos, entender a exata interação entre eles e maximizarmos o seu uso é, acima de tudo, racionalização. É de fundamental importância o papel do projetista na materialização de uma ideia. Só para iniciar a conversa, imagine que o projeto se faça uma vez, desconsiderando as atualizações necessárias para a maturidade do produto, contudo a utilização dessa máquina dar-se-á por décadas, produzindo e cumprindo o seu papel social. Então, durante a fase de projeto, onde a receita é zero e os custos são crescentes, a maximização dos recursos reduz consideravelmente os riscos de insucesso. Nesse instante que as parcerias são importantes e é nesse ambiente que a Altus se destaca, porque nascemos e crescemos nesse ambiente hostil, mas desafiador. E adoramos desafios!

Nós estamos vivendo em tempos exponenciais. Cerca de 3,5 bilhões de buscas no Google são realizadas diariamente, sendo que há 10 anos, eram menos de 4% desse valor. Quem respondia essas questões antes do Google? Então, é importante usar toda a tecnologia disponível de apoio para buscar os atalhos. E assim, tal qual uma pequena nascente que requer atenção, precisamos olhar com carinho para os pequenos empreendedores, que serão a base da Indústria do futuro. A Altus, cumprindo a missão que ela assumiu, se apresenta para ser o seu parceiro nessa jornada. Como as pequenas nascentes que se transformam em grandes rios, queremos participar da transformação das empresas em grandes corporações. Porque inovação e tecnologia estão presentes em nosso DNA. Esse é o Brasil que queremos para nós e para as próximas gerações.


    Sobre o autor

    Com mais de 40 anos de experiência em prover soluções de automação, Daniel Andrade entrou     para o time Altus em 2014 e, desde então, atua como o responsável pelo mercado de máquinas     OEM em todo o Brasil.