A importância de CLPs de alto desempenho para máquinas eficientes

A importância de CLPs de alto desempenho para máquinas eficientes

06 Dez 2018

A história das máquinas para a otimização dos meios de produção não começa hoje, teve início há cerca de 200 anos com a primeira revolução industrial. Desde aquele momento, quando surgiram as primeiras máquinas a vapor, até hoje, os ganhos nos processos industriais foram exponenciais, tanto na qualidade quanto no ganho de escala de produção. Surgiram então diversos outros mercados e processos que não eram possíveis e nem se quer imagináveis, mas, de forma resumida, o que tem sido feito é buscar por tecnologias que possibilitem a criação de novas máquinas capazes de melhorar processos, automatizar novos segmentos, reduzir custos e que, de maneira geral, sejam cada vez mais eficientes.

Eficiência, essa é a palavra por trás do desejo de inovação. A eficiência é uma medida comparativa e, observando as máquinas, mais eficientes serão aquelas que farão melhor e da melhor forma possível. Sendo assim, para uma máquina ser mais eficiente não basta simplesmente entregar o resultado final; a máquina que entrega o resultado final está cumprindo a sua função, está sendo eficaz, mas não necessariamente eficiente. Como, então, observar a eficiência de uma máquina? A eficiência pode ser observada quando comparada a outra máquina ou outro meio de produção do mesmo produto, como quando se produz mais em menos tempo ou utilizando menos energia. Até quando se obtém o mesmo resultado final consumindo menos recursos, entregando seu produto final com menor índice de rejeição, isto é, com mais qualidade, entre diversos outros indicadores. São estes indicadores que vão diferenciar uma máquina dentre as diversas opções do mercado, é o que vai colocá-la a frente das demais.

Partindo destas premissas, entendemos que a busca pelo aumento da eficiência das máquinas é uma busca antiga, mas sempre atual, à qual diversos fabricantes inovadores enfrentam todos os dias. Deste modo, passam a pesquisar de que forma possam atingir este objetivo.

É neste cenário que a Altus entra. Utilizando toda sua expertise, agregada ao longo de seus mais de 35 anos de experiência com equipamentos de automação, para propor soluções que atendem e superem as necessidades dos clientes, além de se moldar às mais diversas aplicações. Entendemos que, para ser mais eficientes, temos como primeiro passo estudar a forma como uma máquina é controlada e propor ali melhorias que realmente façam a diferença.

Fazendo esta análise, podemos afirmar que controladores de alto desempenho são extremamente necessários para garantir uma melhor eficiência. Nossa linha Nexto, por exemplo, operando com tempo de varredura da lógica de programação inferior a 5ms em grandes aplicações, possui características chave para máquinas que necessitam de alta velocidade de processamento, seja pela lógica densa com diversos cálculos matemáticos simultâneos, seja por possibilitar o grande número de interrupções de sistema para aumento de precisão de ações, onde o processamento é cada vez mais exigido à medida que se aumenta a velocidade de funcionamento da máquina.

Porém, alto desempenho não se trata apenas de processamento, é necessário periféricos que estejam no mesmo nível, como entradas e saídas rápidas e com alta potência de acionamento – digitais ou analógicas de alta precisão e velocidade. Isso dá, por exemplo, versatilidade para controles de posicionamento, seja por encoder e saída de pulsos, ou através de réguas potenciométricas e válvulas proporcionais. A junção destas e de diversas outras características nos possibilita entregar melhores soluções. 

Utilizar um controlador de alto desempenho faz parte, então, do primeiro passo para o aumento da eficiência das máquinas; tendo isto em mente, podemos partir para a etapa da implementação. Para isso a área comercial da Altus focada em OEM, que atende diretamente a fabricantes de máquinas, utiliza uma equipe técnica para trabalhar lado a lado com o fabricante, fornecendo treinamentos, auxiliando no desenvolvimento de softwares e propondo lógicas de controle para os mais diversos tipos de máquinas, como sopradoras, ensacadeiras, prensas, rotuladoras, fornos, entre outras. 

Utilizando nossa inteligência de engenharia para fazer o levantamento matemático de toda a arquitetura da máquina e trazendo isso para dentro do controlador, garantimos precisão e sincronia entre motores e acionamentos, o que deixa a máquina simples de ser operada e extremamente eficiente em seu rendimento, facilitando, também, uma futura manutenção, pois, ao trocar peças a máquina recalcula de forma automática os parâmetros necessários para manter o mesmo funcionamento. 

O apoio do time de OEM também se faz presente no processo de construção da máquina, dando dicas de otimizações mecânicas para se obter um melhor rendimento instruindo os operadores nas adequações às normas de segurança, garantindo sempre a melhor integração entre mecânica, hardware e software.

Este apoio direto aos fabricantes nos permite implementar o que há de mais moderno no mercado de automação, receber solicitações de novas características e rapidamente adequar nossos produtos por meio do nosso setor de P&D, criando hardwares personalizados ou implementando novos recursos nos hardwares já existentes.

É com essa mentalidade que trabalhamos, com foco no cliente e desejo de inovação, ouvindo necessidades, e agindo para agregar valor e tecnologia, pois, embora o aumento da eficiência seja um desejo comum aos fabricantes, não é fácil encontrar as melhores ferramentas para atingir este objetivo. Por este motivo nos especializamos para oferecer um atendimento personalizado. 

Fazendo parte desta equipe, entendo que essa relação de parceria é o que nos move e nos coloca em posição de superar expectativas, levando sempre o melhor aos nossos clientes.

Eduardo Henrique, Consultor de Vendas

Sobre o autor

Eduardo Henrique Martins entrou para a família Altus em 2014 como estagiário de Suporte Técnico, em São Paulo, onde chegou a ser Técnico em Automação. Hoje, faz parte da equipe Comercial e atua como Consultor de Vendas no time de OEM.