P-66 começa a operar na Bacia de Santos

Primeira plataforma da Petrobras com casco totalmente construído em território brasileiro, a P-66 iniciou a produção de petróleo e gás natural na tarde da última quarta-feira (17/05). Com os sistemas de Hull (casco) e Top-side desenvolvidos e implementados pela equipe de engenharia da Altus, a FPSO é a sétima unidade a entrar em operação no campo de Lula, quadrante pertencente à Bacia de Campos, área do Pré-sal brasileiro. A região é operada pela Petrobras (65%) em parceria com a BG E&P Brasil (25%) e a Petrogal Brasil (10%).

Localizada a aproximadamente 290 km da costa do estado do Rio de Janeiro, em profundidade de água de 2.150 metros, a P-66 tem capacidade para processar diariamente 150 mil barris de petróleo, comprimir 6 milhões de m3 de gás e foi inicialmente interligada ao campo de Lula por meio do poço produtor 7-LL-60D. A plataforma tem a função de separar o óleo do gás e da água durante o processo de produção, armazená-lo nos tanques de carga para, finalmente, transferi-lo para navios petroleiros, que serão os responsáveis pelo seu transporte. 

O empreendimento utiliza os controladores programáveis da Série Nexto, operando em modo redundante, as unidades terminais remotas da Série Hadron Xtorm, remotas PROFIBUS da Série Ponto, além de uma grande variedade de equipamentos e componentes presentes no mix de produtos da empresa.