Redundância

Confiabilidade e disponibilidade são características indispensáveis na automação de complexos sistemas de supervisão e controle de máquinas e processos. Essas aplicações geralmente estão relacionadas a controle ambiental, produção em grande escala e segurança patrimonial. A Altus possui a solução ideal, com equipamentos que conferem redundâncias a todos os níveis de arquitetura.

A disponibilidade oferecida pelos sistemas redundantes pode estar nas cabeças de campo, na ligação entre as cabeças de campo locais e remotas, nas redes de campo PROFIBUS-DP ou HART em PROFIBUS-DP, em Controladores Programáveis (CP) redundantes, nas fontes de alimentação, na rede de supervisão redundante e também no nível do próprio supervisório.

Com a utilização do conceito de redundância, falhas de hardware ou software em qualquer nível da arquitetura, ou até mesmo externas ao sistema de automação, poderão ser contornadas.

Aliada à redundância, vem sempre a característica de Troca à Quente, presente nos módulos de entradas e saídas (E/S) desde os primeiros CPs da Altus. Ela possibilita a substituição dos cartões sem a necessidade de interrupção do processamento e do sistema de controle, minimizando, por exemplo, os tempos de parada de manutenção.

Nas séries atuais da Altus, a troca à quente pode se estender aos módulos de comunicação, coprocessadores, Unidade Central de Processamento (UCP) e fontes, havendo redundância.
Os seguintes níveis de redundância podem ser obtidos com os produtos Altus:

Cabeça de rede de campo redundante

Normalmente sob o protocolo PROFIBUS-DP escravo, oferece disponibilidade para a comunicação de dados com qualquer equipamento mestre através de interface serial RS-232 para diagnósticos locais e supervisão/forçamento de pontos E/S.

A Altus também dispõe de cabeças de rede de campo PROFIBUS-DPV1 com suporte a HART, que permite a comunicação de equipamentos com esse protocolo aos mestres da rede.

Interface PROFIBUS-DP redundante

A redundância da interface PROFIBUS-DP permite que a UCP tenha acesso direto a qualquer equipamento de campo com esse protocolo. Além disso, ele oferece extensivos diagnósticos mesmo na ocorrência de falha em algum ponto da rede.

UCP e Coprocessadores redundantes

Sendo a responsável pelo processamento, controle e aquisição de dados do sistema, a Unidade Central de Processamento (UPC) é vital ao processo. A existência de redundância nesse nível da arquitetura oferece alta disponibilidade à aplicação, já que a falha de hardware ou software em uma das UCPs não acarreta necessariamente em uma interrupção do sistema de controle.

De acordo com a topologia, a redundância de coprocessador pode garantir a não interrupção dos canais de comunicação e registro de eventos, além da aquisição de diagnósticos detalhados, o que facilita a análise de ocorrência de falhas nas alternâncias entre UCPs.
Todos os Controladores Programáveis de grande porte da Altus permitem a utilização de sistemas de redundância no nível de UCPs e Coprocessadores.

Interface Ethernet Redundante

A rede Ethernet é utilizada principalmente para a troca de informações em alta velocidade entre os controladores e as estações de supervisão, onde ocorrem o monitoramento e o controle do sistema de automação, além da programação dos CPs. Disponibilizar redundância para essa rede em um sistema de supervisão e controle pode garantir sua máxima continuidade de operação.

As séries de Controladores Programáveis de médio e grande porte da Altus proporcionam essa funcionalidade, conferindo às aplicações uma rede moderna e confiável.

Assim, a Altus oferece tecnologias em suas soluções para redundância que aumentam a eficiência do processo e reduzem custos no design, instalação e manutenção do sistema.