Tecnologia brasileira conquista o mundo pelas mãos da Altus

Tecnologia brasileira conquista o mundo pelas mãos da Altus

11 Abr 2019

Para começar, pense grande! Esta é uma dica de negócio que nós, com mais de 35 anos de experiência, nos permitimos dar. Desde o começo da empresa, em 1982, nossos fundadores já imaginavam a Altus levando sua tecnologia para terras muito além das fronteiras nacionais, tanto que adicionaram este objetivo à Visão do negócio: "Ser uma grande força no mercado nacional de tecnologia, atuando globalmente e entregando soluções com excelência".

Essa ambição, o desejo de ser grande, foi o que alimentou nossa jornada e fez com que alcançássemos feitos extraordinários. Hoje, a tecnologia Altus está presente em todas as regiões do planeta. Temos iniciativas em andamento com importantes parceiros na Europa, África, América do Norte e, há algumas semanas, na Oceania, onde os CLPs Nexto Xpress acabam de desembarcar. Mas é o que está acontecendo na Ásia, mais precisamente na costa oceânica da China, que queremos destacar hoje.

Fabiano Favaro, CEO

Recentemente, nosso CEO, Fabiano Favaro, esteve no estaleiro da Offshore Oil Engineering Co Ltd (COOEC), localizado na região de Qingdao, visitando as obras de construção da plataforma P-70, onde especialistas da nossa equipe de Engenharia se revezam para coordenar a instalação dos sistemas de controle responsáveis pela produção da plataforma – tecnologia 100% brasileira, 100% Altus. "O trabalho que estamos realizando na China é nada menos que excepcional. Nossos profissionais estão aplicando de forma brilhante tecnologia pura através de produtos e serviços de integração de sistemas de classe mundial", comenta o CEO. Este exemplo demonstra a força da empresa e seu comprometimento em sempre dar o máximo, e um pouco mais, para alcançar seus objetivos e entregar soluções que proporcionem alto valor agregado aos clientes.

Para enxergar este valor, basta olhar para os números do mercado petrolífero nacional. Hoje, cerca de 20% da exploração de O&G brasileira e metade de tudo que é gerado no Pré-sal são produzidos com a tecnologia dos produtos Altus e a expertise de seus profissionais. E estes números devem sofrer um grande salto com o início de operação das plataformas em construção. 

Nestes projetos, além das barreiras linguística e cultural destacadas por nosso Gerente Engenharia Alexandre Ingrassia em seu depoimento para o quadro Perspectivas, também enfrentamos a desconfiança sobre a capacidade da Altus, uma empresa do Sul do Brasil, de executar estes complexos empreendimentos no outro lado do mundo. Pelos números apresentados acima e os novos projetos conquistados, não há dúvidas de que superamos tais dificuldades com extrema desenvoltura, conquistando a confiança tanto de clientes quanto do mercado.