Altus e Bianchini assinam novo projeto de modernização para a fábrica de Rio Grande

Altus e Bianchini assinam novo projeto de modernização para a fábrica de Rio Grande

30 Set 2016

Depois de conquistar o privilégio de modernizar uma das unidades de produção de farelo, beneficiamento de grãos e extração de óleo vegetal da Bianchini, companhia que figura entre as maiores processadoras de soja do Brasil, a Altus terá um desafio ainda maior. A empresa será responsável por desenvolver e instalar os sistemas de automação e controle de mais oito processos da produtora industrial gaúcha. Com o início deste novo projeto, a unidade de Rio Grande, cidade localizada no extremo sul do Rio Grande do Sul, passa a ter a grande maioria de seus processos produtivos automatizados com produtos e engenharia Altus.

O novo desafio proposto pela Bianchini e que a Altus irá bravamente encarar nos próximos meses envolve a automatização dos seguintes processos: Armazéns 2 e 3, Laminadoras 1 e 2, Peneira, Preparação, Balanças de Fluxo 1 e 2, Secador e Torres do Pier. Para manter a operacionalidade destes processos, a equipe de engenharia especializada da empresa desenvolveu um conjunto de soluções que envolve a utilização dos controladores programáveis das séries Nexto e Ponto em conjunto com o software supervisório BluePlant, painéis CCM, QGBT e painéis banco de capacitores. Para esta demanda, além de fornecer e instalar o hardware previsto no projeto, a Altus também é responsável pelos serviços de campo (instalação elétrica) e por desenvolver o software utilizado na aplicação dos sistemas de controle, operando em modo redundante, e de supervisão.

O TAF (Teste de Aceitação em Fábrica) do banco de capacitores, primeiro da sequência de testes prevista para o projeto, foi realizado esta semana na Fábrica de Painéis da Altus, em Sapucaia do Sul/RS. O próximo evento experimental de operação será o TAF dos Painéis Elétricos e está previsto para ocorrer na primeira quinzena de outubro.

A Bianchini

Com sede em Porto Alegre, a Bianchini é uma empresa nacional de capital fechado que atua no ramo industrial de extração de óleos vegetais, produção de farelos e biodiesel a partir do processamento da soja. A companhia possui duas fábricas localizadas nas cidades de Canoas e Rio Grande, no Rio Grande do Sul, que, juntas, têm capacidade de processar até 1,5 milhão de toneladas anualmente. Além disso, a empresa dispõe de um terminal marítimo e 11 postos de recebimento para armazenagem e distribuição de grãos espalhados pelas sete macrorregiões do estado.