A importância da documentação em processos produtivos

A importância da documentação em processos produtivos

03 Jul 2019

Os produtos fabricados na Altus hoje possuem um conjunto de documentações específicas de produção, com instruções de montagem do produto e os insumos necessários para produção. Falando mais especificamente sobre os produtos que desenvolvemos internamente, contamos basicamente com três documentações fundamentais para a produção, sendo elas a especificação de material (EM) da submontagem de software, a especificação de material (EM) de submontagem de hardware e a especificação de material (EM) do produto final. 

A EM de software, mais utilizada pelo processo interno de P&D, conta com o histórico de revisões e melhorias realizadas no software do produto. Neste documento também são detalhados resultados de testes funcionais, melhorias realizadas ao longo do tempo, implementações de novas funcionalidades, etc. Após aprovação das alterações pela equipe de validação, esta documentação é finalizada e o software é disponibilizado para o processo fabril realizar a gravação no produto final.

A EM de hardware é formada pelo detalhamento do processo produtivo da placa de circuito impresso do produto. Caso um produto possua mais de uma placa, como é o caso das CPUs NX3003 e NX3004, por exemplo, este produto terá mais de uma submontagem de hardware. É neste documento que constam os componentes e o local na placa onde devem ser posicionados, assim como a descrição da sequência de etapas do processo produtivo.

A EM de produto final é, basicamente, a junção das duas EMs citadas anteriormente. Lá, ficam registradas a alteração das submontagens de hardware ou software, a sequência de etapas da montagem mecânica do produto, a forma de gravação de software, a lista de materiais para a montagem do produto – formado basicamente pelos componentes mecânicos e os componentes de embalagem – e as instruções para o teste final do equipamento. A revisão que consta na etiqueta do produto é consistente com a revisão de EM de produto final, visto que este documento contém todo o histórico de alterações já realizadas. Para alguns produtos, este documento também contempla as etapas de embalagem, falando desde a forma de montagem da caixa até a colocação da guia de instalação, por exemplo.

Estas documentações são disponibilizadas, hoje, em um local na rede interna onde podem ser acessadas pelos colaboradores da empresa. Porém, é importante ressaltar que estes documentos não podem ser alterados diretamente na rede sem uma análise prévia do conteúdo modificado. 

Com a finalidade de discutir os impactos que uma alteração pode ter em um produto ou em um processo produtivo, uma equipe de especialistas de diferentes áreas do P&D – algumas vezes do processo fabril e do processo de suprimentos, também – realiza uma reunião de análise de viabilidade de alteração de produto. Com a análise finalizada, a documentação atual é armazenada em um local específico na rede interna para consultas posteriores, se necessário, e uma nova revisão do documento é gerada contendo as alterações definidas em reunião. Cada documento possui um capítulo de manutenção e registro de alterações, onde estas são descritas. Por fim, a nova documentação é revisada, aprovada, e atualizada na rede.  

A manutenção das documentações do processo produtivo se faz importante pela garantia do cumprimento das definições de processos tanto por causa das certificações de produtos quanto pela rastreabilidade de alterações definidas pela ISO 9001:2015. Por contar com uma gama de diferentes produtos, e para cumprir com a demanda no prazo certo e com a devida qualidade, também se faz necessário que o processo produtivo esteja detalhado corretamente, facilitando o cotidiano de trabalho dos profissionais da fábrica e elevando a produtividade dos mesmos. Além disso, este processo se mostra importante para otimizar a rotina de trabalho e maximizar o desempenho fabril, visto que, se o processo não está descrito corretamente, a padronização da montagem pode ser comprometida. 

Em alguns casos, há profissionais com mais experiência na execução de determinada tarefa e, quando ele é alocado em uma atividade diferente, o processo pode não ser executado com a mesma eficiência. A realização de detalhamento do processo produtivo nada mais é do que a transformação do conhecimento tácito em explícito, fazendo com que a possibilidade de falhas no processo de montagem de um produto seja diminuída. 

É importante ressaltar que esta documentação está em constante aprimoramento, de acordo com as sugestões de melhorias apontadas pelos executores das atividades.

Manoela de Lima

Sobre a autora:

Manoela de Lima entrou para a família Altus em 2015 como Estagiária na equipe de P&D. Hoje, ocupa a posição de Analista Administrativa de P&D, atuando no acompanhamento de investimentos em projetos de desenvolvimento de produtos, elaboração dos documentos sobre produção e outros processos.