A evolução tecnológica dos CLPs Altus: Décadas de 1980 e 1990

A evolução tecnológica dos CLPs Altus: Décadas de 1980 e 1990

23 Jun 2021

A história da Altus começa em outubro de 1982, em uma época de transformação do mercado. Nós, desde o início, somos fruto de uma indústria de informática e eletrônica criada por jovens recém-saídos da universidade que sonhavam em empreender e descobrir as novas oportunidades que surgiam.

Fascinados pelas possibilidades, nos tornamos uma das principais empresas do Brasil a atuar com tecnologia própria no setor de Automação Industrial e Controle de Processos. Também somos uma das primeiras a desenvolver e fabricar Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) e Controles Numéricos Computadorizados (CNCs) na América Latina.

Somos grandes entusiastas da tecnologia e especialistas naquilo que fazemos. Acreditamos na pesquisa e desenvolvimento de produtos próprios, seja em nossos laboratórios ou em colaboração com universidades e diferentes centros de pesquisa, fazendo com que os CLPs se tornassem nosso corebusiness

Durante nossos 39 anos de atuação, desenvolvemos diversos equipamentos e soluções de alto valor agregado, produtos com abrangência global utilizados em indústrias dos mais variados segmentos. Hoje, damos início à uma série de artigos que mostram a evolução tecnológica de nossos produtos e soluções. Prepare-se para conhecer mais sobre as quase quatro décadas de história da Altus. 

A primeira série de CLPs

Nossa primeira geração de CLPs, a série de dispositivos intitulados AL, produzida até 1993, estreou no mercado em 1984 com o lançamento do controlador AL-1000/128. Neste primeiro projeto, tínhamos como principal objetivo trazer ao mercado um produto simples, compacto e de baixo custo. Ou seja, uma alternativa para as empresas brasileiras que, até então, utilizavam somente produtos importados. 

AL-1000 e CNC DestrooAL-1000 e CNC Destro (à esquerda) ao lado das maletas AL-1800 e AL-2800 (à direita)

Dois anos depois do lançamento do AL-1000/128, em 1986, começava a ser comercializado o Comando Numérico Destro. O dispositivo tinha a tecnologia digital como base e possuía uma arquitetura similar à de um computador. A chave para a operação do CNC era seu software. Com ele, podíamos aplicar o equipamento em diversas áreas, como robóticamáquinas controladas por embreagens, bobinadeiras, entre outros dispositivos.

Ainda na década de 1980, criamos diferentes variações de CLPs utilizando como base a tecnologia da série AL. Além do AL-1000, desenvolvido para aplicações de pequeno e médio porte, com 128 e 256 pontos de controle, também lançamos o CLP AL-500, para micro aplicações, e o AL-1000/512, para projetos de grande porte. Neste período histórico desenvolvemos, também, as maletas AL-1800 e AL-2800, utilizadas para programação e controle de máquinas. A segunda, inclusive, contava com uma tela para inserção de comandos.

Desenvolvimento contínuo

No final da década de 1980, continuamos evoluindo a série AL e, simultaneamente, desenvolvendo novos produtos que contemplassem as atualizações do mercado tecnológico. Surgiu, então, a segunda geração de CLPs Altus. 

Na categoria de micro porte, o AL-600 apareceu como uma evolução do modelo anterior, com quatro vezes mais memória que seu antecessor. Já nas categorias de pequeno e médio porte, o AL-2000 deu as caras, com 32, 64 e 128K de memória. Este modelo de CLP oferecia multiprocessamento, velocidade e capacidade de memória, além de uma elevada conectividade, com o uso da ALNET II, uma rede de alta performance em um barramento RS485 modificado para 1Mbps, oferecendo disponibilidade e redundância. 

AL-500 e AL-600 (à esquerda) ao lado dos CLPs AL-2004 e AL-2005 (à direita)

Em 1991, a categoria de grande porte ficou por conta do modelo com 512 pontos de controle do próprio AL-2000 e seu sucessor, o AL-2005, CLP com coprocessador e microprocessador 186. Ao passo que os sistemas operacionais evoluíam, as plataformas de programação dos produtos Altus acompanhavam essa transição. Os usuários tanto do AL-600 quanto do AL-2000 e do AL-2005 puderam acompanhar essa mudança em primeira mão. Os dispositivos foram lançados com programação através do AL-3832, software que rodava no sistema operacional MS DOS. Quando os PCs começaram a migrar para a plataforma MS Windows 3.11, os dois CLPs passaram a utilizar as ferramentas Mastertool Programming.

Novos produtos

Com o avanço da década de 1990, continuávamos crescendo, desenvolvendo novos controladores e fabricando produtos cada vez mais sofisticados. Foi nessa época, por volta de 1996, que as séries PICCOLO e Quark surgiram em nossa lista de produtos.

Idealizamos os CLPs da série PICCOLO como dispositivos para aplicação em solução de automação e controle de processos de pequeno porte, produtos compactos e integrados em um único gabinete. O número de pontos de entrada e saída variava conforme o modelo, o que dava aos produtos da família um alto índice de adaptabilidade, podendo ser utilizados de acordo com a necessidade da aplicação.

Já a série de CLPs Quark foi criada para oferecer conectividade, flexibilidade e performance para processos de pequeno e médio portes com os modelos QK-801 e QK-2000. A série contava com interface Modbus e rede Alnet II – posteriormente, passou a contar com conexão à internet proporcionada pelo WebGate, dispositivo desenvolvido por nós para oferecer o que conhecemos hoje como IoT, recurso que podia ser utilizado por todos os controladores que possuíam o protocolo Alnet I.

Já na década de 90, os controladores da série Quark e AL ganharam funcionalidades de troca-quente, tropicalização e possibilidades de cartões analógicos de 16 bits. Os novos recursos permitiram que os produtos fossem aplicados em sistemas mais críticos e com elevado grau de complexidade, utilizassem lógicas avançadas com indexação, blocos de funções para os usuários aproveitar códigos e modularidade de aplicação. Todas essas funcionalidades, aliadas ao fato de que fomos uma das primeiras empresas a desenvolver interface ethernet TCP/IP direto do barramento do controlador sem necessidade de gateway, já colocavam a Altus na vanguarda do mercado de tecnologia para automação.

Gostou de conhecer um pouco da história dos nossos produtos? Nos próximos artigos, você continuará viajando no tempo e conhecendo mais detalhes e informações sobre a evolução da tecnologia Altus. Fique ligado no Blog I&A para conhecer detalhes sobre nossa terceira geração de CLPs, os principais projetos da década de 2000, a mudança da operação para São Leopoldo e muito mais. 

Você pode conferir mais conteúdos relacionados à Indústria 4.0 e à história da Altus no Blog I&A.