Pré-sal já responde por quase 70% da produção nacional de petróleo

Pré-sal já responde por quase 70% da produção nacional de petróleo

04 Jun 2020

Esta semana, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou os dados da produção brasileira de óleo e gás em abril. Segundo a entidade, a produção diária nacional chegou a 3,738 milhões de barris de óleo equivalente, sendo 2,958 milhões de barris de petróleo e 124 milhões de metros cúbicos de gás natural. Deste total, 69,5% são oriundos dos 113 poços pertencentes à área do Pré-sal, aumento de 4,2% em relação ao mês anterior.

O maior campo produtor no Brasil é Lula, na Bacia de Santos, de onde saíram 1,033 milhão de barris de petróleo e 45,7 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A P-69, terceira unidade com maior produtividade entre todas no período, atingiu uma produção de 146,7 mil de barris de petróleo e 5,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A FPSO, que atua no extremo sul do campo, tem seus sistemas de Hull (casco) e Top-side desenvolvidos e implementados pela equipe de engenharia da Altus.

A P-66, outra unidade automatizada com produtos e inteligência de engenharia Altus, também atua na região e está entre as Top 10 plataformas mais produtivas no período. Com capacidade para processar diariamente 150 mil barris de petróleo e comprimir 6 milhões de m3 de gás, a plataforma atingiu uma produtividade de 122,5 mil barris de petróleo de barris de petróleo e 5,8 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

Além dessas duas plataformas, a tecnologia Altus também é responsável pelo controle dos sistemas de Hull e Top-side de outras três FPSOs que operam no Pré-sal: P-58, P-67 e P-68. Juntas, estas unidades são responsáveis por produzir mais de 246,1 mil barris de petróleo de barris de petróleo e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

Alguns números sobre a Altus e o mercado de O&G

Cinco das 20 plataformas mais produtivas do país utilizam tecnologia Altus.

34% de todo o óleo explorado no Pré-sal foi produzido com tecnologia Altus (índice referente à 2019).

Até 2025, a tecnologia Altus estará presente em 25% das unidades e 1/3 das FPSO em operação no Brasil, o que representa 5% do mercado global de FPSOs.