Projetos de colaboradores da Altus são premiados na Mostratec 2020

Projetos de colaboradores da Altus são premiados na Mostratec 2020

12 Fev 2021

O ensino médio é um momento de muitos aprendizados, inclusive dos métodos científicos. Um exemplo de instituição que fomenta esse tipo de conhecimento é a Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, mais conhecida como Liberato, que incentiva seus alunos a desenvolver projetos de pesquisa para exposição na Mostratec, maior feira anual de ciência e tecnologia da América Latina. A iniciativa é organizada pela escola e auxilia no desenvolvimento dos estudantes, tanto técnico quanto social, permitindo que cheguem mais preparados ao mercado de trabalho.

Por ter a educação como uma de suas principais bandeiras e ser uma grande incentivadora do desenvolvimento tecnológico nacional, a Altus auxilia diferentes instituições de ensino no processo de formação dos seus estudantes. Com a Liberato, não é diferente. Temos um longo histórico de relacionamento com a fundação, tanto que, hoje, 20% do nosso quadro de colaboradores é formado por profissionais oriundos da escola, alguns, inclusive, prestes a concluir o curso técnico.

É o caso de Vitor Daniel Duarte, Conrado Maia Heckler, Bruno Rodrigues Fernandes dos Anjos, Lucas Oliveira da Silva, Marsçal Augusto Rosa dos Santos, Izadora Gomes de Moura, Gabriela Recktenwald, Clara Adriana Burghardt e Bruno Gabriel Berwanger, integrantes do time de estagiários Altus que cursaram o técnico na Liberato e tiveram trabalhos premiados na Mostratec. Na edição 2020 da feira, ocorrida em formato virtual devido à pandemia de covid-19, esses nove jovens apresentaram projetos inovadores e conquistaram prêmios que vão de bolsas de estudo a participação em outras feiras internacionais.

Premiados na Mostratec 2020. Da esquerda para a direita, em cima: Lucas Oliveira da Silva, Gabriela Recktenwald, Bruno Gabriel Berwanger, Marsçal Augusto Rosa dos Santos, Conrado Maia Heckler e Clara Adriana Burghardt. Em baixo: Vitor Daniel Duarte, Bruno Rodrigues Fernandes dos Anjos e Izadora Gomes de Moura

Sobre os projetos premiados

Com o objetivo de auxiliar a locomoção de crianças com paralisia cerebral, o estudante do curso de Eletrotécnica, Vitor Daniel Duarte, garantiu o 1º lugar na área de Ciências da Computação com o dispositivo “Smart Walk”. O projeto busca melhorar a qualidade de vida e a independência das crianças através de um protótipo que analisa a marcha humana e corrige a posição do pé via eletroestimulação. Atualmente, Vitor faz parte do time de Suporte Técnico da Altus, auxiliando clientes com dúvidas relativas aos produtos comercializados e buscando otimizar o desempenho de suas aplicações.

Dispositivo “Smart Walk” , desenvolvido por Vitor Daniel Duarte


Os alunos Conrado Maia Heckler e Bruno Rodrigues Fernandes dos Anjos, do curso de Eletrônica, também conquistaram o 1º lugar na área de Ciências da Computação com o projeto “SIIP”, que tem por objetivo identificar pragas e doenças em plantações de alfaces, por meio de Inteligência Artificial. Hoje, ambos atuam na área de P&D da Altus, porém, em setores diferentes: Conrado trabalha com software de alto nível e Bruno com software embarcado.

Projeto “SIIP”, de Conrado Maia Heckler e Bruno Rodrigues Fernandes dos Anjos


Lucas Oliveira da Silva
, também estudante do curso de Eletrônica, alcançou o 2º lugar na categoria Ciências da Computação com seu SNIPZ, um programa que identifica o sexo do peixe Zebrafish de forma não invasiva, a partir de um vídeo curto. O animal é utilizado em testes pré-clínicos que avaliam a eficácia de medicamentos para tratamento de doenças neurodegenerativas, epilepsias, ansiedade e esquizofrenia. 

Quem também garantiu a 2º colocação na área da Ciências da Computação foi o trabalho “Aplicação de sequências de nucleotídeos computacionais de vírus à genômica comparativa”, de Marsçal Augusto Rosa dos Santos, estudante do curso de Eletrônica, que visa desenvolver uma aplicação computacional para análise comparativa de genomas viróticos. 

Na Altus, tanto Marsçal quanto Lucas Oliveira integram a equipe de P&D nas áreas de software embarcado e de inovação. 

Já na categoria Engenharia Elétrica, Izadora Gomes de Moura e Gabriela Recktenwald, alunas do curso de Eletrotécnica, alcançaram o 3º lugar por desenvolverem o “SMART SETUP – Setup Inteligente”. O projeto tem por objetivo reduzir o tempo de setup das máquinas industriais através de uma programação capaz de ler e armazenar os dados dos parâmetros de produção das peças.

Hoje, as colegas da Liberato atuam juntas na Altus. Izadora, que faz parte da equipe de Propostas, auxilia na análise de especificações para propostas técnicas e comerciais, e Gabriela apoia o setor de Marketing na gestão do portfólio de produtos e serviços da empresa.

“SMART SETUP – Setup Inteligente”, projeto de Izadora Gomes de Moura e Gabriela Recktenwald

Clara Adriana Burghardt, também estudante do curso de Eletrotécnica, recebeu a premiação pelo 4º lugar na categoria de Engenharia Elétrica pelo projeto “SMER”, um sistema de baixo custo capaz de monitorar e gerenciar o consumo de energia elétrica nas residências. Clara atua na equipe da Fábrica realizando testes e gravações de software nos produtos. 

Estudante do curso de Eletrônica, Bruno Gabriel Berwanger, criou o aplicativo “Move - Software de Auxílio Psicomotor” que estimula a prática de exercícios físicos, principalmente agora, durante o período da pandemia de covid-19, que as pessoas estão mais em casa devido ao distanciamento social. Na Altus, Bruno auxilia no desenvolvimento de software embarcado no setor de P&D.