Petrobras anuncia novo índice recorde de produção no pré-sal

Petrobras anuncia novo índice recorde de produção no pré-sal

23 Jul 2021

Na quinta-feira (22), a Petrobras divulgou seu relatório de resultados operacionais do segundo trimestre de 2021, tendo como um dos principais destaques os resultados do pré-sal. A produção das unidades instaladas na região alcançou 1,96 milhão de barris de óleo equivalente (boed), o que representa 70% da produção total da petrolífera, um percentual recorde para a empresa. A Altus, enquanto responsável pelo fornecimento de tecnologia, bem como desenvolvimento e implementação dos sistemas de E&P das principais plataformas da companhia, está diretamente ligada a mais essa conquista.

Os resultados alcançados são decorrentes da continuidade do ramp-up das FPSOs P-68, que explora os campos de Berbigão e Sururu, e P-70, instalada no campo de Atapu e que atingiu a capacidade máxima de produção (161 mil bpd) em menos de 13 meses. Ambas plataformas têm seus sistemas de Hull (casco) e Top-side desenvolvidos e implementados pela equipe de Engenharia da Altus. Aliás, segundo o último Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, divulgado em maio pela ANP, seis das 15 primeiras unidades no ranking nacional de produção de óleo e gás operam utilizando a tecnologia Altus.

Além das já citadas P-68 e P-70, também figuram na lista de plataformas mais produtivas do Brasil a FPSO P-76, uma das bases com maior índice de produtividade operando no país, as unidades, as unidades P-67 e P-69, que já apareciam neste ranking em julho de 2020, e a P-66, primeira plataforma da Petrobras com casco totalmente construído em território brasileiro. Juntas, essas unidades foram responsáveis por produzir mais de 672,2 mil barris de petróleo de barris de petróleo e 26,5 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, em maio.

Veja alguns números sobre a Altus e o mercado de O&G

Hoje, cerca de 35% de todo o óleo explorado no Pré-sal é produzido por plataformas automatizadas com produtos e inteligência de engenharia Altus. Até 2025, a tecnologia da empresa estará presente em 25% de todas as unidades e 1/3 das FPSO em operação no Brasil, o que representa 5% do mercado global de FPSOs.